quinta-feira, 28 de junho de 2012

Não me insulte! - Parte 2

Conforme dito ontem, há dias em que até ser chamado de bonito se torna uma ofensa. Falando em ofensas, quem nunca ouviu um estudante dizer um palavrão ou viu o mesmo fazendo um gesto obsceno? Falta de respeito? Sim, com certeza, e de educação, de limites, entre outras coisinhas mais, sem dúvida alguma. 

Cá entre nós, quem nunca desejou poder dar uns berros para acabar com a bagunça, mesmo que temporariamente? Já ouvi alguns Professores que, no auge de sua frustração, acabaram dizendo palavrões em sala de aula, para quem quisesse ouvir. Aceitável? Não, sem dúvidas. Desculpável? Depende da situação. Interessantemente, ouvi um Professor universitário dizer algo muito curioso, há alguns meses. 

Ele dizia que não é preciso se rebaixar a tanto, ou amaldiçoar cada geração da família do estudante, pois, a nossa vingança é que cotidianamente, quando assinam uma prova ou teste, costumamos escrever 'Aluno' (latim: sem luz, em uma tradução muito livre), e eles assinam o nome completo ao lado! Ou seja, eles confirmam o fato de não terem luz! Quem nunca ouviu o termo 'espírito sem luz', maneira sutil de dizer 'assombração'?

Nenhum comentário: