segunda-feira, 18 de junho de 2012

Uma idéia maluca! - Parte 1

Bom, comecemos do princípio: desde a época de estudante, sempre tive a impressão de que nós, Professores, trabalhamos demais para obter tão poucos resultados. Quando ingressei na nobre profissão, a prática  mostrou aquilo que Professores bem mais experientes já haviam confirmado, que aquela não era apenas uma impressão minha, e, sim, a mais pura verdade.
Pense bem. Somos nós que criamos trabalhos, testes, provas, seminários, passeios, excursões, enfim, uma miríade de atividades, todos com o propósito de ajudar a fixar o conhecimento adquirido pelo estudante, firmando conceitos fundamentais para o devido entendimento da disciplina, a qual é uma ferramenta importante para o entedimento de vida e mundo do indivíduo, certo?
Temos boas intenções, é verdade. Só queremos ajudar, mas só esquecemos que tudo o que vai, um dia volta. Somos campeões em esquecer disso. Acontece que aquelas duas toneladas de tarefas que você enviou para que seus estudantes desenvolvessem em casa, alguma hora, irá voltar para a sua mesa para a devida correção, atribuição de conceito ou nota, dependendo de como você trabalhe, registro para fins comprobatórios e legais dos conceitos ou notas e devolução das tarefas aos discentes. 
Bem, adivinha só o que acontece com todo o seu trabalho e esforço para produzir tais materiais após um ano ou dois? Lixo, direto e reto! Com alguma sorte, de toda a sua antiga turma, cinco irão preservar tais materiais, por ordem da mãe, e dez enviarão à coleta seletiva, afinal, é preciso proteger o meio ambiente. Não há quaisquer motivos para que mantenham arquivados tais materiais, para esses estudantes.
Como se não bastasse, os métodos acima citados são comprovadamente falhos, e, cá entre nós, seria ingenuidade acreditar que nenhum deles 'colou' do colega do lado. E, até onde a Biologia nos ensina, só possuímos um único par de olhos, mas precisamos vigiar de trinta a quarenta estudantes por vez. 

Sempre haverá aquele que não observamos direito, afinal, como foi dito, só temos um par de olhos.E, apesar de tantos esforços, você ainda não sabe exatamente o que seu estudante realmente sabe, quanto e como, o que lhe dá falsas direções para seguir com o programa.

Nenhum comentário: